IEBJP

Como uma pessoa se converte a Jesus?

(Passos Fundamentais)

 

1 – A necessidade de escutar a voz de Deus

Estou falando de um processo espiritual de interação, de chamado. Essa voz pode ecoar a partir da própria Palavra de Deus escrita e/ou pregada (como acontece com a maioria), ou de forma sobrenatural, assim como foi a experiência de Paulo, quando a caminho de Damasco, ouviu literalmente a voz do Senhor (At 9).

Diante de Deus o homem toma uma dentre três decisões: fugir, negar ou CRER. Negar é endurecer o coração; crer é abrir o coração. [Pv 4:10; Jr 22:29; Mt 7:24; Lc 11:28; Jo 5:24-26; At 28:28; Hb 2:3; Hb 3:15; Ap 3:20; Ap 1:3; Rm 10:17; Ap 2:7; Ap 2:11; Ap 2:29; Ap 3:6; Ap 3:22; Ap 22:17]

 

2 – O Crer e o Confessar

Veja o que diz a Palavra – [Rm 10.9; At 19.18, Mt 10.32,33; 1 Jo 1:9; 1 Jo 4:15; Ap 3:5]. CRER é responder com fé à mensagem ouvida, e CONFESSAR é declarar Cristo como nosso único e suficiente Salvador.

 

3 – O Arrepender e Confessar

Na Palavra de Deus as conversões sempre são precedidas de arrependimento. A palavra arrepender-se significa dar meia-volta na vida em direção a Jesus Cristo, mudar de mente (metanóia – ideia) sobre seus pecados e sobre Jesus, o reconhecimento de uma vida centrada no EU, no desejo de que Jesus passe a controlá-la e a disposição de mudar de conduta com frutos dignos de arrependimento. Arrependimento tem haver com o abandono de pecados e é algo fundamental no processo de restauração de vida. A confissão, o arrependimento e a oração nos fazem ser livres e curados.

Arrependimento se dá antes e depois da conversão também, e em determinados momentos precisam ser específicos para poderem ser tratados. A confissão é o modo de apropriação do poder remidor do sangue de Cristo em nossas vidas! Dar nome aos erros e confessá-los especificadamente tem um poder enorme do ponto de vista espiritual e também emocional. [Sl 32:5; Pv 28:13; Mt 3:6; Rm 10:10; Tg 5:16]

 

4 – O Converter-se a Jesus

Após o homem ter contato com a Palavra de Deus, escutando a voz do Senhor, crer fielmente e arrepender-se, terá agora que se voltar para Deus. A conversão é um volver-se para Deus, é a retomada do caminho certo, é voltar-se para o Deus certo, aquele que nos criou e que tem nos chamado para uma nova vida em Sua presença. [At 3.19,20; 1 Pe 2.25]

5 – A Regeneração

Após arrependidos e convertidos, dois milagres instantâneos acontecem em nossa vida: a regeneração e a justificação. Regenerar – essa palavra no grego tem sentido de gerar, gerar de novo, dar à luz, dar nascimento. Ser regenerado é viver uma nova vida, conforme nos ensinou Paulo em 2 Co 5.17 – “E, assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas.”

É a oportunidade que Deus nos dá de recomeçarmos tudo. Mas, para esse recomeço é preciso que haja uma mudança interna em nossas disposições, pensamentos e desejos. Só podemos viver uma nova vida se, de fato, formos novas pessoas. Na regeneração, Deus nos comunica vida espiritual e nos faz estar vivos perante Ele, e não mais mortos nos nossos pecados [Ef 2.2-5]

É claro que isso acontece mediante a habitação do Espírito Santo em nós. É preciso dizer também que esse milagre somente Deus pode fazer e que ele é instantâneo e acontece mediante nossa entrega ao Senhor Jesus. A partir do novo nascimento, entramos em um processo de aperfeiçoamento, que as Escrituras chamam de santificação.

 

6 – A  Justificação

Ao contrário da regeneração, que visa uma mudança interna no homem, a justificação é um ato puramente judicial (isso é um termo forense), por meio do qual Deus, como nosso Juíz, nos perdoa e nos declara isentos de todas as nossas faltas e culpas passadas. Somos, então, livres da culta e de qualquer condenação. A justificação não se repete, nem mesmo é um processo, mas dá-se em um ato, de forma completa e para sempre. Deus nos declara perdoados! Estamos livres de toda condenação. [Rm 3:24; Rm 3:26; Rm 3:28; Rm 4:25; Rm 5:1; Rm 5:9; Rm 5:16; Rm 5:18; Rm 8:33; 1 Co 6:11; Gl 2:16; Gl 3:11; Gl 3:24; Tt 3:7]

 

7 – A Santificação

A santificação é um processo de aperfeiçoamento, em que, por intermédio do Espírito Santo, a velha estrutura do pecado vai sendo posta abaixo dia a dia. Nesse ponto é fundamental a nossa cooperação, evitando dar lugar ao diabo, bem como ao pecado. Mas é preciso que se tenha em mente que ser santo no sentido exato e literal do termo será uma realidade somente no céu, quando lá o corruptível se revestir do incorruptível e o mortal se revestir da imortalidade [1 Co 15.53]

Quando aceitamos a Jesus, o que é regenerado é o nosso espírito [cf. Ef 2.1,2; Jo 3.6]. Nossa alma e corpo estão neste processo denominado santificação. {Rm 12.2; Gl 5.24; 1 Ts 5.23]

 

Aleluia, Glória a Deus!

Pr. Haydene Cassé da Silva

 

Sugestão para leitura:

EMERICH, Alcione. Saindo do cativeiro: como ajudar pessoas a se libertarem de alianças do passado. – Rio de Janeiro: Danprewan, 2002. 240p.

Fechar Menu
%d blogueiros gostam disto: