Close

17 de janeiro de 2019

Confissão e Libertação

Uma das estratégias que Satanás usa para aprisionar as pessoas, inclusive os crentes, é a de esconder os erros cometidos. Assim fazendo as pessoas pensam que estarão acobertadas contra a repercussão negativa que poderia lhes sobrevir, como também acham que ficam livres das consequências. A Bíblia nos ensina que o único modo de o homem ser livre das conseqüências do pecado é através do arrependimento e da confissão. Enquanto isto não acontece o homem se torna refém do seu pecado. A seguinte história ilustra essa situação.

Joãozinho e Maria eram irmãos com idades de 10 e 12 anos. Gostavam de brincar juntos mas também de brigar. Um dia, zangado por algo que Maria tinha feito e que ele não tinha gostado, Joãozinho resolveu se vingar. Pegou a boneca predileta de Maria a qual era recheada de milho, e enterrou no fundo do quintal. Maria se queixou à mãe mas Joãozinho negou que tivesse sido ele. Uma semana depois estava Maria andando pelo fundo do quintal quando notou algo que lhe chamou a atenção. Havia chovido bastante nos dias anteriores e o milho que estava na boneca começou a brotar na forma da boneca. Maria entendeu logo o que tinha acontecido e arquitetou um plano para se vingar de Joãozinho. Chamou-o ao fundo do quintal e mostrou a nova plantação em formato de boneca e lhe disse que, se dali por diante ele não fizesse tudo o que ela pedisse, ela contaria à mãe e ele seria duramente castigado. Joãozinho diante de tal ameaça não teve outra alternativa a não ser se submeter. Ele sabia que se a mãe viesse a saber do seu duplo erro (enterrar a boneca e mentir) o castigo seria grande. Dali por diante ele não teve mais sossego. Tudo que a mãe pedia para Maria fazer ela mandava Joãozinho fazer. Podia ser lavar os pratos, varrer a casa ou forrar as camas, tudo ela mandava Joãozinho fazer. E se ele tentasse reclamar ela apontava para o fundo do quintal e ele se aquietava. Até que um dia Joãozinho entendeu que o único meio de se livrar daquele jugo era contar tudo à mãe. E foi o que ele fez. Confessou à sua mãe o erro e lhe pediu perdão. A mãe o repreendeu e o perdoou e disse que não ia castigá-lo porque ele havia confessado. Quando Maria mandou-o fazer algo, ele não se mexeu, continuando a brincar. Ela ameaçou: vou contar o que você fez! Ele respondeu: pode ir. Eu já contei, ela me perdoou. Agora você não manda mais em mim.

Quantos cristãos estão carregando o pesado fardo do pecado oculto, do pecado não confessado. E o pior é quando racionalizam seus atos errados e não se reconhecem pecadores. A consequência do pecado é a perda da comunhão com Deus, frieza espiritual, falta de alegria com as coisas do Senhor e, em muitos casos, o afastamento da igreja. Isto significa que o pecado aprisionou tal pessoa. O único meio para a libertação é o reconhecimento, o arrependimento e a confissão do pecado a Deus. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (I João 1:9).

Não há melhor condição espiritual do que a de liberdade plena. Jesus disse que a verdade nos libertaria. Seja um cristão livre dizendo não ao pecado!

No amor de Cristo, Pr. Tomaz Munguba

FALTAM

Dias
Horas
Minutos
Segundos

PARA COMEÇAR A

iv CONFERÊNCIA MISSIONÁRIA DA iebjp

FAÇA AGORA A SUA INSCRIÇÃO

%d blogueiros gostam disto: