Na oração, perseverantes

Na oração, perseverantes

Esta foi a recomendação do apóstolo Paulo aos irmãos da igreja em Roma, na sua carta aos Romanos 12:12, onde ele diz: “Regozijai-vos na esperança, sede pacientes na tribulação, na oração, perseverantes”.
Uma das dificuldades do crente é a perseverança. Perseverar é prosseguir na caminhada apesar das dificuldades e dos obstáculos. O autor da carta aos Hebreus também recomenda no capítulo 12, versos 11 e 2: “Portanto, também nós, visto que temos a rodear-nos tão grande nuvem de testemunhas, desembaraçando-nos de todo o peso (ou embaraço) e do pecado que tenazmente nos assedia, corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus…”
Há três atividades em que o crente não pode falhar ou não perseverar: a oração, a leitura da palavra de Deus e a frequência à igreja. Talvez alguns leitores estejam falhando em algumas destas atividades. Talvez a mais comum seja a falta de oração.
Quando paramos de orar somos tendentes a parar a leitura da Palavra, pois perdemos o vigor espiritual que a oração fornece. Sem oração não há alegria espiritual, sem oração não há comunhão com Deus, sem oração não há poder espiritual, sem oração ficamos vulneráveis aos embaraços e ao pecado que nos assedia. Queremos começar o ano de modo diferente. Não temos ideia de como será 2019. Independente das perspectivas, nós cremos num Deus que pode fazer a diferença e a mudança. Ele é o Deus eterno, o Deus todo poderoso, e é o nosso Deus e Pai. Ele diz em Isaías 43:13: “Ainda antes que houvesse dia, eu era; e nenhum há que possa livrar alguém das minhas mãos; agindo eu, quem impedirá?” E Deus vai operar nas nossas vidas, na nossa igreja e na nossa nação mediante as nossas orações.

No amor de Cristo
Pr. Tomaz Munguba

(Pastoral replicada da edição do boletim IEB do domingo dia 10 de janeiro de 2016).