NATAL COM PAPAI NOEL  – TÔ FORA! 2

NATAL COM PAPAI NOEL – TÔ FORA!

Repriso esta pastoral por entender que há muita gente nova na igreja e, por isso, preciso reafirmar nossas convicções sobre certos assuntos.

Ele até que é simpático, com sua barba branca comprida, a roupa vermelha e o barrigão, e o permanente sorriso: ho, ho, ho, ho.

O personagem é apresentado em todo tipo de propaganda como chamariz para as compras, seja em cartazes, boneco, ou ao vivo.

Nas praças dos shoppings lá está ele sentado, colocando crianças no colo levadas inocentemente pelos seus pais.

Ele alimenta os sonhos e as expectativas de crianças em todo o mundo, quer sejam ricas ou pobres, sim, porque ele atende aos desejos de crianças em todo o mundo, ao mesmo tempo, no dia de Natal.

Porque sou cristão, há muito tempo botei Papai Noel para fora de meu lar!

Fiz isto quando descobri que atribuem a ele poderes que são atributos exclusivos de Deus: ele está em todo lugar ao mesmo tempo – onipresença; ele atende às necessidades específicas das crianças, basta pedir – onisciência e onipotência.

Há atributos de Deus que Ele transferiu para nós, seres humanos exclusivamente, como a inteligência, os sentimentos e o livro arbítrio. Mas onipotência, onisciência e onipresença, são atributos intransferíveis de Deus!

Talvez alguns pais cristãos achem que isto é tolice, mas lembramos aos pais que é na infância que os valores são impressos na consciência da criança e, mesmo que no futuro ela venha a entender que Papai Noel não existe, ainda assim nós permitimos que ele o confundisse com Deus. Além disso, os pais estão ensinando uma mentira para seus filhos.

O Natal é a festa comemorativa do nascimento do Senhor Jesus Cristo, então ele deve ser o centro da festa. Além de Papai Noel, no Natal desviamos a atenção de nossos filhos da pessoa de Jesus para os enfeites de casa, a festa, o peru, o queijo do reino, e, pasmem, as bebidas alcoólicas que alguns irmãos permitem que entrem em seus lares.

Não quero dizer que você não possa enfeitar sua casa, comer peru ou queijo do reino (não aprovo bebida alcoólica), mas quero lembrar aos irmãos que precisamos resgatar o verdadeiro sentido do Natal.

Natal é a expressão da graça de um Deus que se fez homem, nasceu entre nós, viveu entre nós e morreu por nós. Satanás não pode impedir o cumprimento do projeto salvífico de Deus, mas tenta mascarar o seu nascimento com um deusinho de roupa vermelha e barba branca, e na Páscoa, procura ocular o significado da morte de Jesus com um coelhinho e ovos de chocolate.

Outro alerta que sempre faço no final de cada ano é o cuidado em relação às vestes com que os irmãos vão romper ano.

As pessoas supersticiosas acham que se vestirem branco na entrada do ano vão atrair paz. Encontrei no Google a seguinte explicação:

O branco é a união de todas as cores. Muito tradicional no Ano-Novo brasileiro, é ideal para quem deseja paz e harmonia no ano que segue. A cor representa também a pureza, por isso é indicada para quem quer se desfazer de energias passadas ruins e renovar os fluidos.

Não estou proibindo ninguém de usar branco, é uma questão de bom senso. O que vai determinar como será o próximo ano não é a cor que eu vista (seja qual for) é se estarei andando em comunhão com Deus e obedecendo a sua vontade.

A Deus somente toda glória!

No amor de Cristo
Pr. Tomaz Munguba

%d blogueiros gostam disto: