POR QUE UMA IGREJA PRECISA DE AVIVAMENTO?

POR QUE UMA IGREJA PRECISA DE AVIVAMENTO?

“Ouvi, Senhor, a Tua palavra e temi; aviva, ó Senhor, a Tua obra no meio dos anos, no meio dos anos a notifica; na ira lembra-te da misericórdia”.

 

A igreja de Jesus Cristo recebeu dele a missão de continuar na terra a sua obra de promover a salvação da humanidade, isto é, resgatá-la do poder de Satanás. Mas a igreja é formada dos seres humanos que foram resgatados pela mensagem do evangelho. Satanás, no entanto, não fica acomodado olhando os homens serem salvos e libertos do seu poder e da consequência que o pecado lhes trazia – a condenação ao inferno. Os salvos, agora, são libertos e transformados, e passam a pertencer ao Reino de Deus, como nos diz o Apóstolo Paulo em Colossenses 1:12-13: Dando graças ao Pai que nos fez idôneos para participar da herança dos santos na luz; O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou para o reino do Filho do seu amor;

O inimigo de nossas almas sempre vai perseguir a igreja. Houve épocas em que seguir a Cristo implicava em perseguição. Isto, porém, ao invés de arrefecer o ânimo dos crentes aumentava-lhes o vigor espiritual e o testemunho. Isto acontece ainda hoje em alguns países. Ele então mudou a estratégia. Hoje vivemos um tempo de liberalismo e frouxidão moral com o qual a igreja tem se acostumado e até por ele tem sido influenciada. O adultério, o aborto, o homossexualismo, o divórcio fazem parte do nosso dia a dia de tal modo que já não mais suscita qualquer reação. Talvez a pergunta seja: que reação? A reação de usar os recursos espirituais que tem como a oração e o testemunho.

Para que isto aconteça a igreja tem que estar consciente de que vivemos um contexto chamado pós-modernidade e que um dos seus sintomas é o misticismo disfarçado em religiosidade. A pós-modernidade é a negação do racionalismo e do cientificismo como resposta ás necessidades humanas. A razão deu lugar aos sentidos, à busca desenfreada pelo prazer e pelo místico.

A igreja contemporânea (não só a nossa, mas todas) passa por um momento de definição de identidade espiritual – ela é ou não é o Corpo de Cristo, santo e invencível. Quando falo  de  igreja  quero  me  referir  ás  pessoas  e  não  apenas às instituições, pois as pessoas é que formam a igreja. O avivamento é uma volta da igreja ao primeiro amor. Para que isto possa acontecer são necessárias algumas atitudes.

1) Reconhecimento do pecado que pode estar nas nossas vidas. No estudo do livro Retorno á Santidade nós tivemos a oportunidade de avaliar algumas áreas onde podemos ter falhado.

2) Arrependimento, confissão e pedido de perdão a Deus: E se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os seus pecados, e sararei a sua terra (II Crônicas 7:14). Em Isaías lemos: “Busquem o Senhor enquanto é possível achá-lo; clamem por Ele enquanto está perto. Que o ímpio abandone o seu caminho e o homem mau, os seus pensamentos. Volte-se ele para o Senhor, que terá misericórdia dele; volte-se para o nosso Deus, pois Ele dá de bom grado o seu perdão” (Isaías 55:6-11).

3) Abandonar a prática do pecado: O que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia (Provérbios 28:13).

4) Cultivar um íntimo relacionamento com Deus através da leitura da Palavra de Deus e da oração constante, para que possa ser vitorioso sobre as tentações que virão: Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite (Salmo 1:2). Deus ainda nos diz: E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração (Jeremias 29:13)

5) Ser cheio do Espírito Santo. Sem enchimento do Espírito Santo não há avivamento. E este enchimento só se dará quando nos esvaziarmos de nós mesmos e dos nossos pecados. Não podemos almejar uma vida “normal” como cristãos, mas somente uma vida cheia do Espírito Santo. Que assim seja conosco.

 

No amor de Cristo,

Pr. Tomaz Munguba