Dia do Pastor

Dia do Pastor

Hoje no calendário Batista é o Dia do Pastor. Na Bíblia pastor é um dom espiritual e um ofício. Nem todos que têm o dom de pastorear exercem o ofício de pastor, e nem todos que exercem o ofício de pastor têm o dom de pastorear. O Apóstolo Paulo diz que se alguém almeja o pastorado, almeja uma coisa excelente.

O ministério pastoral é algo muito importante e precioso para Deus, pois Ele os coloca sobre o rebanho de Jesus para tomar conta das suas ovelhas. Este ministério só pode ser exercido eficazmente quando há o reconhecimento e o respeito da igreja local. A nossa igreja tem, hoje, 17 pastores, incluindo os das congregações e a minha pessoa, que a servem com fidelidade.

Apesar da importância do exercício do ministério pastoral, Deus não chamou homens perfeitos ou super homens para exercê-lo. Deus chamou homens comuns, com defeitos e fraquezas comuns a todos os outros. Por isso eles têm que depender integralmente de Deus. O ministério pastoral não é status, mas serviço. Embora destaque a pessoa que o exerce, por estar à frente, é um ofício que exige muita humildade, para que não se deixe levar pela tentação da vaidade, achando que o mérito do sucesso é seu.

Outra característica indispensável ao pastor é a integridade. A autoridade da pregação vem primeiramente da Palavra de Deus, mas também da vida do pregador. Se ele não vive o que prega, não será ouvido. E esta característica, parece, que está em baixa, para muitos, no cenário nacional. Ultimamente temos visto muitas denúncias e escândalos, públicos ou velados, envolvendo pastores católicos (padres) e pastores evangélicos. São escândalos sexuais (pedofilia, adultério, homossexualismo) ou acusações de exploração financeira dos fiéis. Diante desse quadro há um grande perigo de se generalizar e achar que todo pastor é um aproveitador, prestes a dar um golpe nas ovelhas. Que seu único interesse é arrancar dinheiro dos fiéis (para si) e a promoção pessoal. Vemos que hoje há pastores feitos a toque de caixa, sem um preparo teológico adequado. São chamados de pastores nas suas igrejas e para todos os de fora são verdadeiros pastores. Há até aqueles que se auto-denominam apóstolos (uma ironia sem limite à luz da Bíblia, como foi dito por alguém), no que me parece ser uma tremenda crise de identidade.

Além disso, é fundamental que o pastor pregue a Palavra de Deus na sua inteireza e pureza. Vemos hoje muitas ondas teológicas que estão envolvendo as igrejas, principalmente as neopentecostais, com crenças e práticas estranhas à Palavra de Deus, fruto da interpretação de textos isolados ou de experiências pessoais. Por estas e outras razões é que insisto com as ovelhas que Deus me confiou, que não andem comendo em pasto alheio, pois podem pegar carrapicho ou comer comida envenenada. O seu compromisso é com sua igreja e você deve obediência aos seus pastores. Olhe suas vidas e seus ensinos. Se há algo em que precisam melhorar, vá a eles e ajude-os, pois eles querem, acima de tudo acertar.

Nós, pastores desta igreja, louvamos a Deus pelo amor dos irmãos, pela sua amizade e paciência com nossas falhas. Que Deus abençoe esta igreja e que Ele nos ajude a prosseguir no cumprimento de nossa missão.

No amor de Cristo

Pr. Tomaz Munguba